Uma espécie de mosquito que é transmissor do vírus da dengue foi identificado pela primeira vez em Portugal, na região Norte do país, anunciou a Direção-geral da Saúde (DGS) e o Instituto Doutor Ricardo Jorge.

“À semelhança do verificado em vários países da Europa, foi agora identificada, pela primeira vez, em Portugal, na região Norte, a espécie de mosquito ‘Aedes albopictus’”, refere a DGS numa nota pública.

Contudo, a DGS adianta que até ao momento “não há indícios de risco acrescido para a saúde da população”.

Os trabalhos de monitorização e avaliação da situação são da competência dos serviços de saúde pública de nível regional e local da região Norte, em articulação com as autoridades centrais.

“O diretor-geral da Saúde e o presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge continuarão a informar a população da evolução e das medidas tomadas”, acrescenta a nota da DGS.

Espécie não estava infetada

O mosquito da espécie que foi identificada pela primeira vez em Portugal não estava infetado com nenhum agente biológico que possa afetar a saúde humana, segundo a Direção-geral da Saúde DGS.

De acordo com a especialista da DGS Paula Vasconcelos, esta espécie (Aedes albopictus), de origem asiática, tem sido detetada em vários locais na Europa ao longo dos últimos anos.

Em Portugal foi detetada num conjunto de amostras recolhido pelo sistema de vigilância nacional de vetores (mosquitos).

Segundo a especialista da DGS, “não há nenhuma indicação” de que o mosquito encontrado esteja infetado com qualquer agente biológico.

Não temos informação de que o mosquito esteja infetado para qualquer doença que possa afetar a saúde humana”, afirmou à agência Lusa.

Também a nível da europa, esta espécie tem sido encontrada mas até ao momento não foram reportadas doenças humanas relacionadas com a sua presença.

O facto de se ter encontrado esta espécie não significa, segundo a especialista da DGS, que haja qualquer invasão.

Aliás, Paula Vasconcelos considerou que “não é uma situação inesperada”, uma vez que a avaliação do risco feita a nível europeu tem apontado para a presença deste mosquito.

A infeção do vírus de dengue transmite-se através da picada dos mosquitos do género Aedes infetados com o vírus, não ocorrendo transmissão pessoa a pessoa. Os vetores existem em extensas áreas do planeta, particularmente nas regiões tropicais e subtropicais.

A doença manifesta-se, geralmente, por febre, dores de cabeça, dores nos músculos e nas articulações, vómitos e manchas vermelhas na pele e, embora mais raramente, por um quadro hemorrágico.

A principal medida de prevenção é a proteção individual contra a picada do mosquito, uma vez que não existe vacina para esta doença.