Os juízes desmarcaram a greve convocada para os dias 3 e 4 de outubro. O anúncio é da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP).

Em comunicado, o secretário-geral da associação, João Paulo Raposo, disse que "conforme o teor do pré-aviso divulgados e das audições, entretanto, realizadas com grupos parlamentares, verificou-se a abertura da Assembleia da República, órgão constitucionalmente competente, para discuir o estatuto dos Juízes."

Por esse facto, a ASJP decidiu "dar sem efeito a greve que convocou para os próximos dias 3 e 4 de outubro."

No comunicado do dia 8 de setembro, da associação revelava que avançada para a greve porque o Governo se mantinha "irredutível " e não discutia com os juízes "o estatuto na sua integralidade". Um estatuto que "continua a negar aos juízes a progressão profissional adequada à dignidade da sua função", dizia.

Acrescia que no entendimento da associação "os sucessivos governos continuam a protelar a necessária revalorização do estatuto sócio-económico dos juízes, aspeto fundamental para a garantia da sua independência."