A ameaça de bomba que causou alarme no Porto, na quarta-feira à noite, foi falso alarme, apurou a TVI. O objeto improvisado que levou a PSP a fechar a rua do Bonfim e a evacuar três prédios tinha algumas semelhança com uma bomba, mas depois, no raio-X, percebeu-se que não representava qualquer perigo para a população.

O alerta foi dado cerca das 22:30, dando conta de um "objeto estranho" que foi encontrado numa loja vazia, no rés-do-chão de um prédio de habitação de dois andares. A polícia, apoiada pelos bombeiros sapadores, retirou "entre 20 a 30 pessoas", de três prédios contíguos na rua do Bonfim: aquele à frente do qual se encontrava o objeto e os dois edifícios que ladeavam este. A rua foi cortada a circulação de trânsito automóvel e de pessoas.

A PSP do Porto recebeu um alerta, através do 112, sobre a existência de "um objeto suspeito que se encontrava na entrada de um prédio". Quando a PSP chegou ao local, encontrou um "objeto improvisado, que não é uma mala, é um objeto montado", referiu na altura a comissária Lúcia Teixeira, do comando da PSP do Porto.

Depois de analisado o engenho, as autoridades concluíram que não havia qualquer perigo e reabriram o trânsito na rua à 01:25, três horas após ter sido cortada a circulação.

As autoridades montaram um extenso perímetro de segurança enquanto decorreram as perícias no local. A Equipa de Inativação de Explosivos da PSP esteve no local. De acordo com a comissária da PSP, os moradores aguardaram o desenvolvimento da operação "na rua ou dentro dos carros".

A investigação criminal vai ficar a cargo da PSP, que remeteu o objeto para análise pericial.