O Ministério da Administração Interna (MAI) indicou esta quinta-feira que vai pedir o contributo das associações socioprofissionais da GNR e dos sindicatos da PSP, para a revisão do plano de prevenção do suicídio nas forças de segurança.

Em comunicado, o MAI refere que se realizou esta quinta-feira a primeira reunião do grupo de trabalho para a revisão do plano de prevenção do suicídio nas forças de segurança, criado na passada sexta-feira, após um encontro com o comandante-geral da GNR e o diretor nacional da PSP, devido às ocorrências de suicídio nas duas polícias, durante o ano de 2015.

Segundo o MAI, na reunião foi definida a metodologia, plano de ação e calendário a cumprir pelo grupo de trabalho que vai rever o atual plano de prevenção do suicídio, existente desde 2007.

A revisão do plano tem como objetivo reforçar “as políticas ativas de prevenção das práticas suicidas, bem como a sua justa adequação ao contexto atual”, refere o MAI, acrescentando que a PSP, GNR e Ministério da Saúde devem apresentar, no prazo de uma semana, uma primeira avaliação individual acerca do plano de prevenção em vigor e propor medidas.

No comunicado, o Ministério da Administração Interna refere ainda que vai solicitar também o contributo das associações socioprofissionais da GNR e sindicatos da PSP.

Este ano suicidaram-se sete agentes da PSP e seis militares da GNR.