Há novo balanço de vítimas mortais decorrentes dos incêndios florestais que deflagraram no domingo em várias zonas do país. Foi atualizado para 43 mortos, segundo disse à Lusa a adjunta do comando nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Patrícia Gaspar. O último balanço, de ontem, apontava para 42 vítimas mortais.

Todos os dias, desde o último domingo, o número de mortos tem vindo a aumentar. Entre os 71 feridos, há mais de uma dezena em estado grave. Três morreram esta semana, dois são de origem desconhecida e a última vítima agora contabilizada era de Oliveira do Hospital. 

O corpo desta vítima mortal foi encontrado hoje na localidade de Avô, concelho de Oliveira do Hospital, esclareceu depois à TVI24 Patrícia Gaspar.

Veja também:

20 mortes registaram-se no distrito de Coimbra

  • 10 em Oliveira do Hospital
  • 3 em Tábua
  • 3 em Arganil
  • 3 em Penacova
  • 1 na Pampilhosa da Serra

18 mortes no distrito de Viseu

  • 8 em Vouzela
  • 5 em Santa Comba Dão
  • 2 em Tondela
  • 1 em Nelas
  • 1 em Carregal do Sal
  • 1 em Oliveira de Frades

2 mortes na Guarda

1 em Castelo Branco, na Sertã 

2 mortes no Hospital de Coimbra, cuja origem é ainda desconhecida 

O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses já realizou, pelo menos, 40 autópsias às vítimas dos incêndios no centro e norte do país.

Pelo menos oito corpos já foram entregues às famílias. A identificação das vítimas mortais, segundo disse à agência Lusa fonte oficial do Ministério da Justiça, está a ser feita por reconhecimento pessoal, que é coordenado pela PJ, impressões digitais, exame dentário ou análise genética.

Os três dias de luto nacional decretado pelo Governo terminam esta quinta-feira.