Um total de 148 jovens estavam internados, em setembro, nos centros educativos, registando-se uma diminuição de quase 30 por cento em relação ao mesmo mês de 2014, segundo a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

As estatísticas da DGRSP relativas ao mês de setembro indicam que o número de jovens internados em centros educativos continuou a diminuir, descida que se verifica desde julho de 2014.

A DGRSP adianta que relativamente ao mês de setembro de 2014 registou-se uma diminuição de 29,52 por cento, quando estavam internados 210 jovens.

As estatísticas referem também que, desde novembro de 2014, a lotação é inferior nos centros educativos, sendo atualmente a taxa de ocupação de 74 por cento.

Dos 148 jovens internados em setembro, seis encontravam-se em ausência não autorizada, não regressando aos centros educativos após autorização de saída.

A maioria dos jovens internados (92 por cento) encontrava-se em cumprimento de medida tutelar de internamento, 11 % em cumprimento de medida cautelar de guarda e um jovem encontrava-se internado para realização de perícia sobre personalidade.

A DGRSP indica igualmente que 68 por cento dos jovens estava em regime semiaberto, encontrando-se em regime fechado 18 por cento.

As estatísticas de setembro refere também que metade dos jovens internados cometeram crimes contra o património, nomeadamente roubos e furtos, e 44 por cento praticaram crimes contra as pessoas, como ameaça e coação e ofensas à integridade física.

Os dados indicam ainda que a maioria dos jovens internados (87,16%) eram rapazes com 16 ou mais anos e foram alvo de processos oriundos de tribunais da área da Grande Lisboa.

A 30 de setembro de 2015 encontrava-se ainda em centro educativo 40 jovens com medida de internamento em regime de fim de semana, 10 com a medida de internamento suspensa, quatro sem centro educativo atribuído e 84 indicados aos tribunais, ou seja, que aguardavam para o início do cumprimento de medida, o que totaliza 286.