A Polícia Judiciária (PJ) está a fazer buscas, esta quarta-feira, na Câmara de Oliveira de Frades (liderada por uma coligação PSD/CDS-PP), no distrito de Viseu, disse à Lusa uma fonte daquele órgão policial, sem precisar qual o motivo da investigação.

A Câmara de Oliveira de Frades é liderada desde 2005 por Luís Vasconcelos, que está impedido de se recandidatar ao cargo devido à lei de limitação dos mandatos.

A Lusa tentou contactar, sem sucesso, o presidente da Câmara.

Contactada pela Lusa, um funcionário da autarquia disse que esta quarta-feira não seria possível chegar à fala com algum responsável do Gabinete da Presidência, pois "estão inacessíveis".

À Lusa, o único vereador da oposição (PS), Porfírio Carvalho, disse já ter conhecimento das buscas por parte de perto de duas dezenas de elementos da PJ.

Estou de férias, mas já fui contactado por várias pessoas a darem conta da presença da Polícia Judiciária na Câmara. Mandou sair todos os funcionários e tem estado a ouvir pessoas", confirmou.

Apesar de desconhecer o motivo da investigação, o vereador da oposição referiu que tem questionado a autarquia sobre alguns concursos e ajustes diretos.

Questionei algumas adjudicações de obras, a forma como alguns concursos foram feitos, de valor elevado, de 1 ou 2 milhões de euros. Não sei se tem alguma coisa a ver com isso", apontou.

A TVI sabe que as buscas começaram logo pela manhã, na casa do presidente e de outros elementos da Câmara Municipal. 

O edifício encontra-se fechado e nem os funcionários foram autorizados a entrar. No entanto, foi-lhes pedido, pelas autoridades, que estivessem contactáveis, porque podem ser chamados para ser ouvidos.

As buscas estão a ser feitas por cerca de 30 elementos da PJ, incluindo informáticos.