Hermínio Loureiro foi detido, confirmou a TVI junto de fonte policial. O ex-presidente da câmara de Oliveira de Azeméis e da Liga de futebol foi detido por suspeitas de corrupção ativa e passiva, tráfico de influências, prevaricação e peculato.

No âmbito da operação "Ajuste Secreto", foi também detido o presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Isidro Figueiredo

Foram efetuadas 31 buscas, incluindo a cinco câmaras municipais e cinco clubes de futebol. 

As câmaras municipais de Estarreja e Albergaria-a-Velha, em Aveiro, foram esta segunda-feira alvo de buscas da Polícia Judiciária, informaram fontes das duas autarquias. De acordo com o presidente da Câmara de Estarreja, a PJ levou “alguns documentos” da câmara. Já fonte de Albergaria-a-Velha referiu não ter sido levado “nada de especial”.

Estas duas autarquias juntaram-se às de Matosinhos, Gondomar e Oliveira de Azeméis, que foram também alvo de buscas pela PJ durante o dia desta segunda-feira.

Segundo a Polícia Judiciária informou em comunicado, a "investigação permitiu até ao momento a obtenção de fortes indícios da existência de relações privilegiadas entre os suspeitos que, ao longo do último ano, têm visado a realização de diversas obras em diferentes localidades, manipulando as regras de contratação pública." 

No total, foram detidas sete pessoas com idades compreendidas entre os 40 e os 60 anos, sendo um autarca, um ex-autarca, um funcionário camarário e empresários relacionados com o “setor da construção civil”.

Em declarações à Lusa, fonte da Polícia Judiciária adiantou que, entre os cinco clubes de futebol alvo de buscas policiais, estão o União Desportiva Oliveirense, Atlético Clube de Cucujães e Futebol Clube Macieirense.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial à competente autoridade judiciária para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas. 

Hermínio Loureiro, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol e antigo presidente do Conselho Metropolitano do Porto, renunciou em dezembro de 2016 ao mandato de presidente da câmara de Oliveira de Azeméis (eleito pelo PSD), não avançando com nenhuma razão em concreto para justificar a decisão.

Numa nota dirigida ao município, Hermínio Loureiro escreveu "que é muitas vezes mais importante saber sair da cena política, do que a ela se apresentar”.