Os diretores do Hospital Amadora-Sintra que se demitiram mantêm os cargos à disposição. Em carta, a que a TVI teve acesso, os médicos dizem que estão demissionários até que haja uma «resposta efetiva» para os problemas que levaram à sua demissão em bloco.
 
No entanto, esta quarta-feira, no final de uma reunião com os demissionários, a administração fez saber que tinham ficado esclarecidas todas as questões apresentadas pelos médicos.
 
Na terça-feira, 27 dos 33 diretores de serviço demitiram-se alegando degradação das condições de trabalho nos últimos dois anos e dos serviços prestados aos utentes.
 
Na carta, os demissionários referem-se ainda à escolha do novo diretor clínico do Hospital Dr. Fernando Fonseca e alertam a tutela para a «restritiva legislação em vigor» que cria «dificuldades na governação clínica dos hospitais».

Esta quinta-feira, o diretor do Hospital Santa Maria, em Lisboa, Miguel Oliveira e Silva, demitiu-se apenas três meses depois de ter assumido o cargo.