A Câmara Municipal de Lisboa emitiu nesta terça-feira um aviso à população na sequência do mau tempo previsto para a cidade, com chuva e vento fortes, até ao final de quarta-feira.Segundo o comunicado da autarquia, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê períodos de chuva «forte e persistente» e «condições favoráveis à ocorrência de fenómenos extremos de vento», que poderão causar inundações e quedas de árvores, nalgumas zonas da cidade.

O serviço municipal refere também algumas medidas que devem ser tomadas pela população, como a redobrada atenção nas estradas, devido à formação de lençóis de água, e o afastamento de zonas arborizadas, para evitar acidentes resultantes de quedas de árvores.

O alerta emitido pela autarquia alertava para o agravamento do tempo a partir das 18:00 de hoje.

A 22 de setembro e 13 de outubro chuvas fortes provocaram inundações em várias zonas de Lisboa, deixando carros submersos e lojas e esplanadas danificadas.

Leia o aviso da CML na integra:

De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a partir das 18h00 do dia de hoje, 18 de novembro, espera-se um agravamento do estado do tempo, com ocorrência de períodos de chuva, por vezes forte e persistente, e condições favoráveis à ocorrência de fenómenos extremos de vento.

Esta situação irá prolongar-se até ao final do dia 19, dia em que se prevê maior intensidade das condições meteorológicas.

Face a estas previsões, poderão registar-se inundações em algumas zonas da cidade, nomeadamente nos períodos coincidentes com a preia-mar, bem como a queda de árvores e danos em estruturas montadas ou suspensas, em resultado da possível ocorrência de fenómenos extremos de vento.

De forma a minimizar eventuais consequências destes efeitos, o Serviço Municipal de Protecção Civil de Lisboa recomenda a adoção das seguintes medidas: 

- Garanta uma adequada fixação de objetos e de estruturas, evitando o seu desprendimento e queda na via pública.

- Nas estradas, tenha atenção à formação de lençóis de água e adote uma condução defensiva, reduzindo a velocidade.

- Afaste-se de zonas arborizadas para evitar acidentes resultantes da queda de ramos ou de árvores.

- Se reside ou trabalha numa zona de risco, proteja a porta da rua com um anteparo ou com sacos de areia e eleve, tanto quanto possível, máquinas, equipamentos elétricos e objetos de valor.

- Não atravessar zonas inundadas, para evitar ser arrastado pelas águas.

- Acompanhe a evolução da situação e as informações da meteorologia e da proteção civil.