O governo quer dar um incentivo de mil euros por mês aos médicos que se fixem no interior do país, onde há falta de profissionais de saúde.
 
As regras preveem que, seis meses após a colocação, o médico passe a receber só metade deste valor e passado um ano, o incentivo é reduzido para os 250 euros por mês. O incentivo vai ter a duração de cinco anos.
 
Os clínicos vão também receber compensações para despesas de deslocação e de transporte, vão ter direito a mais dois dias de férias por ano e ainda a garantia na transferência de escola para os filhos e facilidades na colocação de emprego para o cônjuge.
 
O incentivo não existe em nenhum outro sector da função pública e já estava previsto no orçamento do estado para 2015. O governo prevê gastar entre dois a quatro milhões de euros por ano com a medida.