O Corpo Nacional de Polícia (CNP) espanhola está em Lisboa até domingo com dois agentes para servir de intermediário entre os turistas daquele país e a Polícia de Segurança Pública (PSP).

«Estes agentes espanhóis vão estar em Lisboa entre hoje, dia 17, e dia 20» com o intuito de «auxiliar os turistas espanhóis que se encontrem aqui na cidade durante esta época pascal e de facilitar o contacto» desses turistas com a PSP, explicou nesta quinta-feira o subcomissário Hugo Abreu, relações-públicas da PSP, na apresentação do projeto, que decorreu na sede do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), em Moscavide.

Referiu também que os agentes «vão patrulhar essencialmente as zonas da cidade de Lisboa com maior afluência de turistas, nomeadamente a Marina de Cascais, a Baixa Pombalina, o Parque das Nações, o Mosteiro dos Jerónimos e o Padrão dos Descobrimentos».

Estes dois membros do CNP «não vão ter competência executiva de órgão de polícia criminal», sendo que no caso de ser necessária uma intervenção «os atos processuais serão sempre tratados» pela PSP, acrescentou Hugo Abreu.

O inspetor Ignacio Lena, de 50 anos, explicou à Lusa que por detrás da seleção destes dois agentes esteve o facto de já terem experiência de patrulhamento internacional em Timor-Leste e também por falarem português, ou «portunhol».

O agente José Antonio Correa, 39 anos, acrescentou que esta é «uma forma de o turista espanhol se sentir mais auxiliado, mais seguro».

Ignacio e José, ambos de Badajoz, vão andar, durante estes dias, fardados com o uniforme do CNP, efetuando o policiamento em carros daquela força de segurança espanhola, de forma a serem reconhecidos pelos turistas, mas serão sempre acompanhados por agentes da PSP.

Durante a altura das viagens de finalistas dos alunos do secundário, a PSP realizou uma atuação semelhante, tendo estado durante 10 dias em Benalmadena, Espanha. São esses agentes que vão acompanhar o projeto em Portugal.

«Os nossos companheiros da polícia espanhola acompanharam-nos sempre nas zonas onde os portugueses estavam e no final foi um policiamento muito eficaz», declarou o chefe Hélio Jesus, que fez parte da ação, frisando que tanto ele como o agente Vieitas foram bem recebidos pelos estudantes.

Estas iniciativas inserem-se no âmbito do projeto «Comissarias Europeias», levado a cabo pelo Conselho Europeu desde 2011, e que todos os anos aposta neste intercâmbio como forma de reforçar a cooperação da segurança entre os dois países.