Pedro Dias foi surpreendido, este domingo ao início da tarde, numa casa em Moldes, Arouca. Segundo a TVI24 conseguiu apurar no local, o suspeito dos crimes de Aguiar da Beira terá invadido a casa de uma mulher, de cerca de 50 anos, durante a sua ausência e foi surpreendido pela proprietária no seu regresso a casa.

Ao deparar-se com o fugitivo, a mulher - que divide a sua vida entre o Porto e Arouca - gritou a pedir ajuda e um vizinho, de 71 anos, entrou na habitação para tentar ajudar, tendo ambos sido agredidos por Pedro Dias e amarrados a uma cama. 

De acordo com o tenente-coronel Vendas Alves da GNR de Aveiro, em declarações à TVI24, Pedro Dias colocou-se então em fuga num carro furtado ao vizinho que socorreu a mulher, um Opel Astra branco. 

Todas as opções estão em aberto, mas há fortes suspeitas que seja o mesmo indivíduo que anda a monte", afirmou a mesma fonte.

O alerta foi dado pelo filho do homem que estranhou a demora deste em aparecer para o almoço de domingo. Depois de dar o alerta para o seu desaparecimento, a GNR deslocou-se à casa e encontrou o "casal amarrado".

As duas vítimas relataram depois às autoridades que se tinham deparado com Pedro Dias dentro da casa e levado o carro. A invasão terá acontecido "entre as 13:00 e as 15:30".

Após a nova fuga de Pedro Dias, a GNR montou um forte dispositivo na região de Arouca, distrito de Aveiro, e lançou “um alerta para toda a região Norte e há ações no terreno” para localizar a viatura onde poderá viajar o suspeito.

A GNR informou que a viatura em que circula Pedro Dias foi avistada em Vila Real, a pouco mais de cem quilómetros do local onde ocorreu o furto do veículo.

Um carro patrulha da GNR cruzou-se com a viatura furtada na zona industrial de Vila Real. A patrulha ainda foi atrás da viatura durante algum tempo mas perdeu-lhe o rasto", disse a mesma fonte.

A GNR terá ainda recebido um telefonema de um popular a dizer que viu o referido veículo a passar na aldeia de Carro Queimado, no concelho de Vila Real.

Neste momento, segundo o mesmo responsável, há vários carros da GNR a percorrer as aldeias do concelho, no intuito de conseguir localizar a viatura.

Um militar e um civil foram assassinados a tiro na madrugada do dia 11 de outubro em Aguiar da Beira, no distrito da Guarda, onde também um outro militar e uma civil ficaram feridos com gravidade.

O militar, de 41 anos, que sofreu um traumatismo cranioencefálico já teve alta, enquanto a mulher do civil continua internada "em estado crítico e com um prognóstico muito reservado" no Centro Hospitalar Tondela-Viseu. 

A GNR cessou na passada quarta-feira as buscas que estava a realizar entre São Pedro do Sul (distrito de Viseu) e Arouca (distrito de Aveiro) para encontrar o suspeito, mantendo no terreno as patrulhas de policiamento de proximidade.