Uma criança de 11 anos está entre as vítimas mortais da colisão entre um autocarro e um comboio, na quinta-feira, no sudoeste de França, confirmou à TVI24 fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades.

Recorde-se que, ontem, a Secretaria de Estado das Comunidades garantia que não havia vítimas portuguesas.

A mesma fonte garantiu que o secretário de Estado já prestou condolências à família.

Entretanto, à Lusa, o secretário de Estado José Luís Carneiro explicou que "as autoridades francesas, na quinta-feira à noite, não davam informação de que existiam portugueses neste acidente".

Durante esta manhã recebemos a informação de que havia um ferido e entretanto recebemos a notícia de que acabou por falecer esta criança".

Os serviços consulares estão "em contacto com a família" e a procurar "apurar se, eventualmente, existirá mais algum ferido, vítima deste acidente". "Agora compete-nos acompanhar a família e prestar-lhes todo o apoio necessário e indispensável para minorar a dor sentida". Acrescentou, também, que "por regra, não é identificado o local de origem das vítimas", por dever de reserva.

Atendendo à quadra natalícia, o governante quis reforçar "a importância em haver todo o cuidado nas deslocações e são muitos milhares de portugueses que regressam a Portugal" nesta altura do ano. Daí fazer um apelo:

 Quer na vinda, quer depois no regresso, todos os cuidados são poucos, todos os cuidados devem ser tidos em consideração".

O acidente, que provocou pelo menos cinco mortos e 24 feridos, ocorreu cerca das 15:00 (hora de Lisboa) de quinta-feira numa passagem de nível perto de Millas, nos Pirinéus, junto à fronteira com Espanha. Millas fica a cerca de 15 quilómetros de Perpignan.

O comboio regional que chocou com o autocarro transportava 25 passageiros.

As operações de resgate e desencarceramento do autocarro escolar envolveram 70 sapadores bombeiros, dez veículos de emergência, dois helicópteros da proteção civil e dois outros das emergências médicas, conforme escreveu o Le Figaro.