A Autoridade Nacional de Proteção Civil registou desde domingo a ocorrência de seis mortes na sequência dos incêndios florestais, disse hoje à Lusa a adjunta nacional de operações Patrícia Gaspar. Há ainda 25 feridos.

Segundo a mesma fonte, duas das vítimas morreram no fogo em Penacova, no distrito de Coimbra.

Uma fonte autárquica disse à Lusa que as duas mortes ocorreram devido ao fogo, que teve origem no concelho da Lousã, na povoação de Vale Maior, em território da União de Freguesias de Friúmes e Paradela da Cortiça, concelho de Penacova e distrito de Coimbra.

A terceira vítima mortal foi registada na Sertã, distrito de Castelo Branco. De acordo com fonte do CDOS de Castelo Branco, o morto é um civil cujo corpo foi encontrado na localidade de Vale do Laço. Na mesma localidade, também devido ao incêndio, registaram-se três feridos. O fogo deflagrou na localidade de Ponte das Portelinhas, na freguesia de Ermida e Figueiredo.

A quarta e quinta vítimas mortais morreram em Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra. 

A sexta vítima mortal foi registada em Nelas (distrito de Viseu), tratando-se uma pessoa que estava dada como desaparecida. No entanto, continua ainda desaparecida uma pessoa.

Os incêndios causaram também desde domingo pelo menos 25 feridos, seis dos quais graves, e, destes, quatro estão relacionados com um acidente na autoestrada A25, quando as pessoas tentavam fugir às chamas.

Dificuldades nas comunicações

A adjunta nacional de operações da Proteção Civil confirmou ainda que a rede de comunicações de emergência SIRESP registou "falhas em Viseu, Aveiro e Leiria", que estavam a ter "impactos nas operações". 

"Têm sido intermitências, as falhas não são generalizadas", especificou.

Perante as falhas, a Autoridade Nacional mobilizou duas estações de operações móveis, uma para Viseu e outra para Aveiro.

Patrícia Gaspar salientou ainda que os incêndios que mais preocupação estavam a causar às autoridades eram os que estavam a ameaçar habitações nos distritos de Aveiro, Coimbra, Aveiro, Castelo Branco e Viana do Castelo.

Pelas 03:00, estavam em curso 117 incêndios, que mobilizavam 5889 operacionais e 1783 veículos.