Treze pessoas morreram e 49 ficaram feridas, na sequência da queda de uma árvore de grande porte durante a romaria de Nossa Senhora do Monte, no Funchal, Madeira, esta terça-feira. O balanço foi confirmado pelo Hospital do Funchal. Entre as vítimas há crianças e cidadãos estrangeiros. 

Às 19:30 foi feita uma atualização do boletim clínico no hospital em relação às vítimas desta tragédia. O Hospital do Funchal confirmou que “chegaram aos serviços de urgência 52 pessoas”

Das 52 vítimas que deram entrada, três faleceram até ao momento, nomeadamente uma criança que chegou ao serviço de urgência já cadáver e outras duas pessoas que vieram a morrer na sequência dos graves ferimentos.

Vitimas mortais: 13 pessoas. Dez faleceram no local, uma criança entrou cadáver e dois adultos faleceram no serviço de urgência”, informou o adjunto da direção clínica do Serviço Regional de Saúde da Madeira (SESARAM), Miguel Reis.

Uma fonte, da PSP, adiantou à TVI que entre os mortos há duas crianças.

Ainda segundo o hospital, entre os feridos “há 16 em estado grave, e entre estes quatro crianças e oito adultos”.

Quanto às vítimas estrangeiras, Miguel Reis referiu que “estiveram envolvidas cinco vítimas, quatro das quais graves”, acrescentando que uma de nacionalidade francesa faleceu no local e outra húngara veio a morrer já no hospital.

Mencionou que estão ainda hospitalizados dois outros cidadãos estrangeiros - um francês e outro alemão -, tendo sido registado o caso de um holandês que já teve alta.

Estes dados vêm esclarecer alguma confusão gerada quando foi transmitida a informação sobre o número de vítimas desta tragédia numa conferência em que participaram o presidente do Governo Regional, o secretário da Saúde da Madeira e o presidente do Serviço de Proteção Civil do arquipélago, pelas 16:30.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, viajou para o Funchal, na sequência da tragédia. O Presidente quis testemunhar a "solidariedade e o conforto amigo de todos os portugueses".

O primeiro-ministro, António Costa, também manifestou as condolências através do Twitter.

Recorde-se que a queda da árvore deu-se no Largo da Fonte, na freguesia do Monte, cerca de 12 horas, e causou "multivítimas", relatou à TVI fonte dos bombeiros, logo após o incidente.

"Há várias pessoas com fraturas e traumatismos cranioencefálicos", acrescentou a mesma fonte, que disse ainda que os feridos estavam a ser transportados em grande número para o hospital, "dois por ambulância".

A árvore tombou na zona onde está um ponto onde são vendidas velas, onde havia uma concentração de muitas pessoas.

No local estiveram a Equipa Médica de Intervenção Rápida (Emir), bombeiros e diversas ambulâncias.

O arraial do Monte é considerado a maior festa da Madeira, contando com a presença das entidades regionais, incluindo o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, nas celebridades religiosas.

A tradicional procissão foi cancelada.

Entretanto, o Instituto Nacional de Medicina Legal fez saber que vai reforçar o Gabinete Médico-legal da Madeira com meios humanos e materiais para acelerar a entrega das vítimas mortais da queda de uma árvore às famílias.

“O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses vai reforçar o Gabinete Médico-Legal e Forense da Madeira em termos humanos e de material para a realização das autópsias e acelerar a entrega das vítimas às respetivas famílias”, disse à Lusa a coordenadora da Equipa Médico-legal de Intervenção em Desastres de Massas, Maria Cristina Mendonça.

De acordo com Maria Cristina Mendonça, os elementos aguardam apenas o transporte aéreo para a deslocação até à Madeira.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal assegurou ao início da noite que a árvore que caiu no Monte é um carvalho que não dava sinais de qualquer problema.