Um incêndio deflagrou hoje numa fábrica de cortiça de Argoncilhe, concelho de Santa Maria da Feira, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro.

Noventa e cinco operacionais, na sua maioria bombeiros, com a ajuda de 33 veículos estiveram a combater o incêndio, que entrou em fase de rescaldo, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

Segundo a mesma fonte, o alerta foi dado às 13:32.

Entretanto, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro precisou à Lusa que o fogo terá afetado cerca de 60% do material guardado no armazém.

Os bombeiros devem permanecer no local durante, pelo menos, as próximas três horas para trabalho de remoção de material ardido e outro de fácil combustão.

Segundo disse à agência Lusa o comandante José Carlos Pinto, dos Bombeiros de Lourosa, o armazém de cortiça, onde o fogo se iniciou, pertence à corticeira Moderna, tendo as chamas atingido parcialmente um outro edifício contíguo, da empresa "Glamour".

 

Postos de trabalho "não estão em risco"

Os postos de trabalho da empresa "mais afetada" pelo incêndio "não estão em risco", disse à Lusa fonte da "Glamor".

"Quando aqui chegámos deparámo-nos com um incêndio num estaleiro de cortiça [corticeira 'Moderna'], já com alguma intensidade e que se propagou a dois armazéns [da empresa 'Glamor'] de produção de cortiça. Foram trabalhos difíceis face à carga térmica libertada", explicou à Lusa o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Lourosa, José Pinto.

Apesar da segunda empresa "ter sido a mais afetada", porque "os dois armazéns foram consumidos pelas chamas", a operacionalidade da empresa não está em causa.

"Os postos de trabalho, cerca de 20 pessoas que aqui trabalham, não estão em causa. Os prejuízos são avultados, não dá ainda para quantificar, mas são distribuídos", disse fonte da empresa.

Isto porque, explicou, a 'Glamor' "trabalha com cortiça de várias proveniências, empresas que trazem o material para que seja transformado em muita coisa, há muitos prejudicados, muitos empresários".