É uma mensagem de ódio e de amor. Quando soube, ontem, que os restos mortais da sua filha foram encontrados, quase meio ano depois de a pequena Maëlys de Araújo desaparecer, a mãe publicou um texto no Facebook dirigido à menina, mas também ao assassino.

Foi preciso esperar cinco meses e meio para que este monstro finalmente falasse. Tu, assassino da minha filha: a Maelys vai assombrar-te as noites e os dias na prisão até morreres e ires para o inferno"

O principal suspeito, Nordahl Lelandais, começou na quarta-feira a colaborar com as autoridades e levou-as ao local onde depositou o corpo da criança.

Num grito de dor e tristeza, a mãe, Jennifer Cleyet continua a dirigir-se ao homem que tirou a vida à sua filha: "A Maelys tinha a vida toda pela frente, destruíste-a, nunca a vamos voltar a ver por tua causa, não vou poder mais segurá-la em meus braços e dizer-lhe o quanto eu a amo". 

A seguir, a mãe escreve umas linhas que a filha já não irá ler, chamando-a de "anjo". Jennifer Cleyet Marrel mostra um sentimento de culpa por tudo o que aconteceu.

Meu pequeno anjo, eu não te pude proteger deste predador e essa culpa acompanhar-me-á durante muito tempo"

A mãe de Maëlys recorda o "sorriso tão bonito" da filha, como a deixava "orgulhosa". Falano presente, não no passado: "És o meu milagre, o meu sol, estarás sempre no meu coração".

Jennifer Cleyet Marrel espera que finalmente "justiça seja feita" e que este "monstro" nunca mais faça mal a ninguém, nem sujeite uma criança à morte.

Nós sentimos muito a sua falta. A luta irá até ao fim, minha princesa".