O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, revelou que o Governo quer apostar em “formações curtas” para permitir o acesso ao Ensino Superior de adultos na casa dos 30 anos.

“Alargar as formações curtas” que permitam o ingresso no Ensino Superior “aos adultos, sobretudo na idade dos 30 anos” é, segundo explicou o ministro, o objetivo de uma das medidas que deve ser aprovada no Conselho de Ministros que começou pouco depois das 10:00 no CEIIA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, em Matosinhos.

“Temos cerca de 250 mil portugueses com mais de 26 anos que nunca tiveram oportunidade de ir ao Ensino Superior. Estamos a facilitar formações curtas para os adultos também participarem no processo de aprendizagem e convergência com a Europa”, observou o governante, em declarações aos jornalistas antes do início da reunião.

Manuel Heitor lembrou que, até agora, o Governo apostou nestas formações “para os mais jovens”, pretendendo alargar agora “a experiência”.

“Portugal não tem instituições a mais, nem tem estudantes a mais. Tem estudantes a menos. Um dos aspetos críticos são as formações curtas para facilitar a penetração de toda a sociedade no ensino superior para estudar mais”, justificou, acrescentando estarem em causa pessoas com “mais de cinco anos de experiência” profissional.