A escritora Luísa Dacosta morreu este domingo aos 87 anos no hospital de Matosinhos, vítima de doença prolongada, disse à Lusa fonte editorial, citando a família.

O corpo da escritora, natural de Vila Real, vai estar na segunda-feira a partir das 15:00 no tanatório de Matosinhos, seguindo-se a cremação na terça-feira, às 10:00, segundo a mesma fonte.   

Luísa Dacosta, que completava 88 anos na segunda-feira, formou-se na Faculdade de Letras de Lisboa em Histórico-Filosóficas, iniciou a sua atividade literária em 1955 e recebeu em 2010 o Prémio Literário Vergílio Ferreira, atribuído pela Universidade de Évora.

Entre os seus livros contam-se «Província», «A Menina Coração de Pássaro», «Sonhos Na Palma da Mão», «O Valor Pedagógico da Sessão de Leitura», «A-Ver-O-Mar» ou «Nos Jardins do Mar». Escreveu também livros infantis.

Em 2011, a décima edição da revista Correntes, publicação associada ao festival Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim, homenageou a autora, que na sessão de abertura do certame se mostrou satisfeita por ter tanta gente a «ouvir uma escritora pouco lida».

«Fui sempre mais homenageada como professora do que como escritora», comentou, confessando que a sua obra -- «autobiográfica» - era pouco compreendida.