A zona de confeção de alimentos do Hospital das Caldas da Rainha foi encerrada, esta quinta-feira, pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica por falta de condições e inconformidades detetadas, divulgou a ASAE.

A “suspensão de laboração” das zonas de confeção de refeições do Hospital de Caldas da Rainha foi determinada na sequência de uma ação de fiscalização “no âmbito da Segurança Alimentar”, confirmou a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica quando questionada pela Agência Lusa.

Numa resposta por escrito, a ASAE explicou ainda que a suspensão teve por base a “falta de condições estruturais do local, bem como a deteção de outras inconformidades”, tendo aquela entidade efetuado “diligências junto da Direção do Hospital no sentido de acautelar que fossem garantidas as refeições aos doentes”.

Na sequência da suspensão do funcionamento da zona de confeção de refeições, “a alimentação para os doentes, acompanhantes e funcionários do hospital foi assegurada por uma empresa certificada”, disse à Lusa Filomena Cabeça, vogal do Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), onde se integra o Hospital das Caldas da Rainha.

De acordo com a mesma responsável, a falta de “condições estruturais” que levaram à suspensão prendem-se com ”o chão, as paredes e a cobertura do edifício”, problemas que haviam já sido identificados em fiscalizações “ainda no tempo da anterior administração”.

Segundo Filomena Cabeça, o CA do CHO “fez já uma adenda ao protocolo com o SUCH (Serviço de Utilização Comum dos Hospitais) para que estas questões fossem intervencionadas”, o que obteve em setembro “o visto do Tribunal de Contas”.

Ainda assim, a administração não avança previsões sobre quando arrancará a obra que possibilitará que as refeições voltem a ser confecionadas no Hospital das Caldas da Rainha.

O Hospital das Caldas da Rainha integra o Centro Hospitalar do Oeste, juntamente com as unidades de Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estevão das Galés e Venda do Pinheiro).