José Sócrates deu entrada de um pedido de recusa do juiz Carlos Alexandre no Tribunal da Relação de Lisboa, apurou a TVI. Este pedido surge depois do antigo primeiro-ministro afirmar que tinha pedido aos advogados para apresentarem queixa contra o juiz por causa da entrevista de Carlos Alexandre à SIC.

Na entrevista, o juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal que decretou a prisão preventiva de Sócrates não falou de casos concretos, mas não resistiu a ironias com destinatário.

O antigo primeiro-ministro reagiu - através de um artigo publicado no Diário de Notícias - e acusou Carlos Alexandre de abuso de poder e de ser parcial.

O Sr. Juiz evidenciou  não ter a imparcialidade que é exigível a um Juiz de instrução na condução deste processo. (...) O Sr. Juiz de instrução faltou, assim,  aos seus deveres de magistrado emitindo em público, embora com recurso à insinuação,  um evidente juízo de culpabilidade sem que haja acusação formada , sem que tenha havido julgamento e sem que haja alguma sentença transitada em julgado".

O Conselho Superior da Magistratura também anunciou que vai analisar a entrevista do juiz Carlos Alexandre no próximo plenário, marcado para 27 de setembro, às 10:30. Os conselheiros vão decidir se há razões para um inquérito disciplinar.

Mas além disso o próprio magistrado pode pedir para ser afastado do processo ou os arguidos podem requerer o seu afastamento, como acabou por acontecer. A apreciação destes pedidos caberá sempre ao Tribunal da Relação de Lisboa.