Portugal vai estar em alerta amarelo até segunda-feira devido ao mau tempo.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) anunciou hoje que vai manter o nível de alerta amarelo em Portugal até às 08:00 de segunda-feira, esperando-se um desagravamento a partir dessa hora.

Esta informação foi prestada pelo comandante operacional nacional, José Manuel Moura, em conferência de imprensa para apresentação de um ponto de situação sobre o mau tempo e perspetivas para as próximas horas.

“Em termos de previsão meteorológica, só a partir de segunda-feira é que temos algum desagravamento das várias variáveis, nomeadamente, do vento e da agitação marítima, o que quer dizer que o dia de hoje ainda será um dia muito intenso, com muita atividade operacional e, sobretudo, a merecer por parte da população uma atenção redobrada”, afirmou José Manuel Moura.

De acordo com o comandante operacional nacional, desde que foi determinado o estado de alerta amarelo, na passada sexta-feira, até às 13:00 de hoje, foram registadas 1.669 ocorrências envolvendo mais de 5.500 operacionais.

Por tipologia de ocorrências, do total registado, assinalaram-se 393 quedas de árvores, 249 movimentos de massa, 599 inundações e 166 quedas de estruturas, referiu o comandante operacional nacional, destacando as zonas Norte e Centro do país como as mais afetadas pelo mau tempo.

O nível de alerta amarelo é o terceiro mais grave de quatro níveis da proteção civil e significa a previsão de ocorrência de fenómenos que, não sendo invulgares, podem representar um dano potencial para pessoas e bens.

 

VEJA TAMBÉM: 

Buscas pelo homem desaparecido em Albergaria continuam

Casa soterrada no Peso da Régua

Marginal da Nazaré cortada ao trânsito e esplanada destruída pelo vento

As fotos do mau tempo enviadas pelos espectadores e leitores da TVI24

 

A propósito da situação meteorológica em Portugal, o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, afirmou hoje em Milão que o Governo está “a acompanhar a situação das cheias em Portugal e dos problemas que isso causa também aos comerciantes”.

“Estamos neste momento a estudar e a analisar o problema. O secretário de Estado do Comércio está a acompanhar e a ver, junto do terreno, quais as necessidades e problemas criados”, disse o ministro.

Entretanto, a circulação de comboios no sentido sul-norte entre Aveiro e Estarreja foi hoje reposta cerca do meio-dia, depois de ter estado interrompida devido ao mau tempo, informou a Infraestruturas de Portugal (IP).

Está ainda interrompida, sem previsão de reposição, a circulação no troço entre Alfarelos e Taveiro, na Linha do Norte, por inundação da via.

Também na Linha do Vouga continua interrompida a circulação de comboios entre Aveiro e Eirol, por inundação da via e uma vez que foi afetada a infraestrutura de suporte.

Relativamente às estradas nacionais, há vários troços condicionados, sobretudo no Norte e Centro do país.

 

Mau tempo também a sul

O mau tempo, com vento forte e chuva, provocou hoje mais de 120 ocorrências no Alentejo e no distrito de Setúbal, informaram fontes da Proteção Civil, cerca das 15:20.

Quedas de árvores, quedas de estruturas e de placas de sinalização temporária foram as principais consequências do mau tempo.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal disse à agência Lusa que, até às 15:00, foram registadas naquele distrito 22 quedas de árvores, nove quedas de elementos de construção em estruturas edificadas, seis quedas de estruturas e cinco chamadas para limpezas de via.

No distrito de Beja, o CDOS disse à Lusa que, até às 15:20, foram registadas mais de 30 ocorrências naquela região, todas elas relacionadas com quedas de árvores e de placas de sinalização temporária.

Fonte do CDOS de Portalegre disse, por sua vez, que se registaram 31 quedas de árvores, ao passo que no distrito de Évora o CDOS registou, até às 15:20, 18 quedas de árvores em vários concelhos, nomeadamente em Évora, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Estremoz.