As médias dos exames nacionais baixaram nas disciplinas de Matemática e Português em relação a 2015, segundo comunicado enviado às redações pelo Ministério da Educação. Se nos cingirmos aos alunos internos (os que frequentaram as aulas durante o ano letivo) e excluirmos os autopropostos, é na Matemática A (a mais concorrida em termos de exames no 12º ano) que a descida da média é mais acentuada: de 120 em 2015, a média desceu este ano para 112.

Os dados do Ministério da Educação mostram que, na primeira fase, 15% dos 32.716 alunos internos reprovaram. Uma subida significativa na taxa de reprovação face ao ano passado, que foi de 11%.

A descida a Português é menos significativa. Ainda falando apenas de alunos internos e excluindo os autopropostos, que, por norma, descem sempre as médias, a média este ano foi de 108, e em 2015 tinha sido de 110.

A taxa de reprovação a Português também subiu, face ao ano passado. Este ano, 53 853 alunos internos fizeram o exame e 67% reprovaram. No ano passado a taxa de reprovação foi de 66%.

Boas notícias nas disciplinas de Física e Química, onde a média referente aos alunos internos subiu de 99, em 2015, para 111, em 2016. A taxa de reprovação a Física e Química baixou de 15% para 11%. De acordo com os dados do Ministério, 28277 alunos internos fizeram o exame na primeira fase.

Também a Biologia e Geologia houve uma subida na média e uma descida na taxa de reprovação. Este ano, 28205 alunos internos fizeram o exame a esta disciplina. A taxa de reprovação foi de 8%. No ano passado a taxa de reprovação foi de 11%. A média subiu de 89 para 101.

A Inglês apenas 18 alunos internos fizeram exame este ano, com uma subida bastante significativa na média - de 105 para 132. A taxa de reprovação desceu de 7% para 6%.

Os piores desempenhos foram nas disciplinas de História e de Francês. Fizeram o exame de História 14 295 alunos internos, que obtiveram uma média de 95, uma descida significativa face aos 107 de média do ano passado. A taxa de reprovação a História subiu de 11% no ano passado para 14% este ano.

A Francês fizeram este ano o exame 978 alunos internos, que obtiveram uma média de 98 (uma descida bastante significativa face aos 130 de 2015). A taxa de reprovação a Francês subiu de forma drástica, de 2% para 10%.

Quando olhamos para os dados relativos aos alunos autopropostos (aqueles que, apesar de não terem frequentado as aulas ao longo do ano, se propõe fazer exame), há igualmente uma descida nas médias a Matemática e a Português, apesar de não serem diferenças significativas. A Português, a média desceu de 80 para 79 e a taxa de reprovação subiu de 66% para 67%. A Matemática, a média desdeu de 68 para 59 e a taxa de reprovação subiu de 71% para 76%.

Más notícias também a História, onde a média desceu de 82 para 72 e a taxa de reprovação subiu de 64% para 73%.

Mantêm-se os melhores resultados, relativamente ao ano passado e no que concerne aos alunos autopropostos, a Biologia e Geologia, com uma subida na média de 76 para 93 e uma descida na taxa de reprovação de 73% para 53%. E também a Física e Química, com uma subida na média de 96 para 98 e uma descida na taxa de reprovação de 61% para 53%.

Este ano, houve um aumento do número total de inscritos na primeira fase dos exames do Ensino Secundário: inscreveram-se 352 301 (o ano passado tinham sido 344 017). Houve também uma diminuição das faltas: em 2016, faltaram 24 608 dos alunos inscritos em todos os exames da primeira fase e, este ano, faltaram 22 414.

Médias dos exames do secundário 2016