Três elementos do gangue do multibanco, desmantelado pela Polícia Judiciária (PJ), ficaram em prisão preventiva, depois de terem sido interrogados esta terça-feira por um juiz de instrução criminal, apurou a TVI.

Em comunicado emitido na segunda-feira, a PJ anunciou ter desmantelado um gangue, a partir da região da grande Lisboa, que roubava caixas multibanco através de explosão, tendo sido detidos três homens, com idades compreendidas entre os 27 e os 30 anos.

De acordo com a PJ, foram ainda apreendidos "relevantes elementos de prova, designadamente cilindros carregados com gás explosivo, baterias, cabos elétricos, mangueiras, diversas partes integrantes de caixas multibanco, armas de fogo, uma delas de calibre de guerra, várias viaturas automóveis e inúmeros objetos produto do crime bem como relevantes elementos de prova".

Em conferência de imprensa, o diretor da Unidade Nacional de Contra-Terrorismo (UNCT) da PJ, Luís Neves, garantiu também na segunda-feira que a liderança daquele grupo criminoso "está desmantelada", precisando que os detidos são dois portugueses e um estrangeiro e que o gangue é formado por "gente perigosa" com antecedentes criminais e acesso a armas com calibre de guerra.

O diretor da UNCT referiu ainda que os detidos têm antecedentes criminais, mas por "factos de diferente tipologia", sem adiantar mais pormenores sobre o passado dos suspeitos.