A delegação centro da Associação Raríssimas pediu a convocação de uma Assembleia Geral extraordinária para deliberar sobre a destituição de Paula Brito e Costa.

Em comunicado, a vogal da direção e delegada da delegação centro da Raríssimas, Marta Balula, solicita ao presidente da mesa da assembleia geral da raríssimas a convocação urgente e imperiosa da uma reunião geral.

A vogal da direção justifica esta tomada de posição com as notícias vindas a público nos últimos dias, dando conta da prática de atos de gestão, pela presidente da direcção da Raríssimas.

Marta Balula sublinha que não teve qualquer intervenção em termos decisórios nesses atos de gestão que caso venham a ser confirmados no âmbito dos inquéritos pendentes, se afiguram gravemente lesivos dos direitos dos associados, dos utentes e da imagem da associação.

Ao presidente da Assembleia Geral da associação é requerido que nos termos do disposto no art.58º., nº.1, alínea b), do estatuto das instituições particulares de solidariedade social e do art. 29º. dos estatutos da Raríssimas, convoque a Assembleia Geral extraordinária tendente a deliberar sobre a destituição da presidente da direcção da Raríssimas.