«A PSP é que nos disse que é de um xenófobo, um grupo neonazi, mais que isso não sabemos. O agente da PSP é que disse que é o número que os neonazis utilizam».


«Pensamos que possa ser algum grupo xenófobo. Não estragaram nada. Só escreveram isso. Na porta principal já limpámos e na parede está num canto, não nos causa grandes perturbações, nem incómodo», disse.








«Não era nada que se calhar não pudéssemos estar à espera na sequência o que aconteceu em França. [...]Estamos numa democracia e estamos sujeitos a estas coisas, mas estamos tranquilos», sublinhou.