O incêndio que deflagrou pelas 10:20 numa empresa de montagem de pneus de Ermesinde (Valongo) entrou em fase de rescaldo cerca das 12:00, não causando feridos mas fazendo “centenas de milhares de euros de prejuízos”, disseram fontes dos bombeiros e da empresa.

Em declarações à Lusa, o comandante dos bombeiros de Ermesinde, Carlos Teixeira, avançou que o incêndio, combatido por 66 homens de 11 corporações, com 24 veículos, está “em fase de rescaldo”.

O dono da empresa de pneus “Bom Piso”, Joaquim Santos, que se encontrava no local, adiantou à Lusa que os prejuízos são na ordem das “centenas de milhares de euros”, garantindo que nenhum dos trabalhadores (22) vai ficar sem emprego.

Joaquim Santos garante ter seguro e que só dentro de meio ano é que a empresa poderá voltar à atividade normal.

Segundo o comandante dos bombeiros de Ermesinde, as chamas terão começado “numa parede sul” do armazém de pneus, junto a um ginásio contíguo “através do travejamento [traves que sustentam o edifício]”.

A Lusa tentou, sem sucesso, obter comentários do gerente do ginásio.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, o incêndio deflagrou na rua Dr. Francisco Silva Pinto, na zona industrial da Formiga, Ermesinde.