A GNR registou 38 contraordenações e apreendeu 37 animais durante os sete dias de uma operação dedicada à proteção de espécies da vida selvagem realizada em todo o país, indicou a corporação.

O Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR realizou, entre os dias 3 e 9 de abril, a operação “Cobra” com o objetivo de “prevenir, detetar e reprimir situações de tráfico, exploração, comercialização e detenção” de espécies da vida selvagem.

Durante a operação, os militares da GNR fiscalizaram 170 estabelecimentos comerciais e nove feiras, que resultaram em 38 contraordenações e na apreensão de 37 animais e 14 objetos de artesanato realizados com partes de animal (marfim).

A Guarda Nacional Republicana refere ainda que esta Operação decorreu no âmbito da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), que regula o comércio internacional de espécimes das espécies da fauna e da flora selvagens (espécimes vivos de animais e plantas e suas partes e derivados) com base num sistema de licenças e certificados que provam a sua origem legal.