Os professores da Escola de Música do Conservatório de Lisboa decidiram esta suspender a greve agendada para esta semana para exigir a vinculação dos docentes aos quadros do Ministério da Educação, informou a Federação Nacional de Professores (Fenprof).

A greve fica suspensa até serem conhecidos os resultados de uma reunião com o Ministério da Educação e Ciência (MEC), ainda por agendar, e que terá como objetivo discutir a integração na carreira docente dos professores «que garantem as necessidades permanentes destas escolas há largos anos», esclareceu a Fenprof.

Anabela Delgado, dirigente desta estrutura sindical, disse à Lusa que está já a ser preparado o ofício a pedir a vinculação aos quadros desses professores, conforme foi solicitado pelo secretário de Estado da Administração Escolar, Casanova de Almeida, na reunião que decorreu segunda-feira, com a Fenprof.

A greve pretendia ainda exigir ao MEC que os contratos dos professores do ensino artístico especializado de música dos vários conservatórios do país, assim como da Escola António Arroio, em Lisboa, celebrados para o presente ano letivo, tivessem retroatividade a 01 de setembro, uma exigência sindical à qual o Ministério acedeu na reunião de segunda-feira.

O objetivo, explicou a Fenprof, era que não houvesse «uma interrupção injustificada de contrato» desses docentes, evitando assim uma perda de direitos perante a Caixa Geral de Aposentações, da qual tinham sido excluídos.

Para quinta-feira, pelas 16:00, está agendada uma nova reunião com o MEC, desta feita sob a responsabilidade da Secretaria de Estado do Ensino Básico e Secundário, para discutir a não aplicação da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) dos professores ao universo dos docentes do ensino artístico.