São poetas, pintores ou criadores como não voltámos a ter. A geração de Orpheu deu início ao modernismo português e projetou-se por todo o século XX. Haverá hoje herdeiros desses jovens artistas que quiseram abanar a cultura da época?

Orpheu não passava de uma pequena revista literária, mas mostrou em pouco tempo o génio de Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Almada Negreiros... 100 anos depois, importa perguntar pela vanguarda contemporânea, por aqueles que pisam o risco e põem as convenções em causa, num outro tempo de marasmo.

As artes em Portugal parecem já não ter respostas para o país lá fora, para as transformações de um novo século e de uma crise que mina a sociedade. Mas ainda há belas criações a brilhar no escuro, que o próximo Repórter TVI dá a conhecer.
 
"100 Orpheu - Na Vanguarda do Atraso" é uma reportagem do jornalista Victor Moura-Pinto, com imagem de João Paulo Delgado e montagem de Miguel Freitas.

Esta segunda-feira à noite, no Jornal das 8, em Repórter TVI.