Quem quer saber se é alérgico a um antibiótico tem de fazer um teste de pele, muitas vezes desconfortável e com vários contras. Mas há quem esteja a trabalhar para encontrar um melhor método de diagnóstico.

Investigadores da Universidade de Valência, em Espanha, estão a liderar um projeto europeu que visa o desenvolvimento de um novo sistema, de baixo custo, através de uma pequena amostra de sangue. Segundo a agência de notícias espanhola EFE, o resultado é revelado em menos de 30 minutos.

O atual método consiste em testes de pele, que passam pela aplicação de uma pequena quantidade de fármacos e observar o efeito. Porém, além do desconforto que causa em muitos pacientes, a probabilidade de diagnóstico falso existe, demora várias horas e pode atingir os 500 euros por fármaco.

Em contrapartida, esta investigação desenvolveu este novo sistema para diagnosticar a alergia "de forma eficiente, rápida, simples e barato - menos de dois euros - apenas com a análise de uma pequena amostra de sangue".

O investigador do Instituto Interuniversitário de Investigação de Reconhecimento Molecular e Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Valência Luís Tortajada explicou à EFE em que consiste:

A estratégia desenvolvida baseia-se num teste ‘in vitro', a partir de uma pequena quantidade de sangue, para detetar um biomarcador de alergias a medicamentos, que são as imunoglobulinas específicas".

A investigação está a ser desenvolvida no âmbito do projeto europeu Cobiophad, financiado pelo programa Horizonte 2020.