A Federação Nacional do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais vai emitir esta segunda-feira um pré-aviso de greve nacional para dar suporte aos trabalhadores do INEM que pretendam não cumprir o trabalho extraordinário. Pelo menos, 11 ambulâncias estão paradas esta segunda-feira, de acordo com Ricardo Rocha, presidente do Sindicato dos Técnicos de Ambulância. 


Luis Pesca, dirigente da federação, explicou aos jornalistas que o pré-aviso de greve só produz efeito a partir das 00:00 da próxima terça-feira, dia 16. 

O sindicalista integrou um grupo de representantes da federação que se dirigiram esta segunda-feira ao Ministério da Saúde para manifestar disponibilidade para entrar num processo negocial que envolva os trabalhadores do INEM.

Os técnicos de ambulância de emergência estão desde o início do mês a recusar fazer horas extraordinárias, queixando-se de falta de pagamento de subsídios e de horas extra e de mais cortes no salário.

Depois de os trabalhadores terem promovido esta noite uma vigília em Lisboa, a comissão de trabalhadores veio hoje dizer que 11 das 17 ambulâncias existentes em Lisboa do serviço do INEM estavam paradas pelas 09:00 devido à recusa dos técnicos em fazer turnos extra, mas o organismo insistiu que só um destes veículos estava inoperacional.

O INEM garantiu que o serviço de emergência está a ser assegurado na capital, acrescentando a existência de outras 75 ambulâncias, dos bombeiros da Grande Lisboa, disponíveis para ajudar nos serviços de urgência.

O instituto também já disse que participará ao Ministério Público contra quem contribuir para colocar em risco o socorro urgente a pessoas.

Segundo o instituto, "existem mesmo SMS [mensagens via telemóvel] que incentivam ao absentismo e ao abandono do serviço, depois de iniciado, através de mecanismos diversos e abundantemente sugeridos".

O presidente do INEM está hoje de manhã reunido com a tutela, nas instalações do Ministério da Saúde.