O juiz desembargador Rui Rangel já chegou ao Supremo Tribunal de Justiça para ser ouvido como arguido na Operação Lex.

"Não presto declarações", afirmou Rui Rangel aos jornalistas que aguardavam a sua chegada. 

Questionado pelos jornalistas sobre como se sentia, o juiz desembargador, respondeu que se sentia "bem". 

Ao que a TVI24 apurou, Rui Rangel decidiu prestar declarações perante o juiz do Supremo Tribunal de Justiça e por isso a sua ainda mulher, Fátima Galante, foi dispensada de permanecer no tribunal.

Para esta quinta-feira está previsto que sejam ouvidos, enquanto arguidos, os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante, ambos suspensos de funções pelo Conselho Superior da Magistratura.

Os dois juízes desembargadores do Tribunal da Relação de Lisboa estão indiciados por crimes de corrupção/recebimento indevido de vantagens, branqueamento, tráfico de influência e fraude fiscal.

Tanto Rui Rangel como Fátima Galante foram suspensos preventivamente das suas funções pelo plenário do Conselho Superior da Magistratura, que também suspendeu a promoção ao Supremo Tribunal de Justiça de Fátima Galante.

Além de Rui Rangel e de Fátima Galante, a ‘Operação Lex’ tem pelo menos outros dez arguidos, entre os quais o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, o vice-presidente do clube Fernando Tavares e o ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol João Rodrigues.

Cinco dos arguidos que se encontravam detidos já foram ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça, tendo saído todos em liberdade, e um deles pagou uma caução de 25.000 euros.

Na operação, desencadeada a 30 de janeiro, foram realizadas 33 buscas, das quais 20 domiciliárias, nomeadamente ao Sport Lisboa e Benfica, às casas de Luís Filipe Vieira e dos dois juízes e a três escritórios de advogados.