Os arguidos Rui Rangel e Fátima Galante remeteram-se ao silêncio no primeiro dia de interrogatório, no âmbito da Operação Lex.

A defesa pediu para ter acesso a mais elementos do processo, mas o juiz desembargador deu apenas uma hora para a consulta do processo. 

Pudemos ter acesso no prazo de uma hora a mais de 20 dossiês onde estão as transcrições das escutas, onde estão os documentos bancários. Assim sendo, nós entendemos que não havia condições para os nossos clientes se pronunciarem sobre uma matéria que é vastíssima", sublinhou o advogado João Nabais.

 

O senhor conselheiro fez uma interpretação da lei e a interpretação que ele fez foi no sentido de não ficam prejudicados os direitos dos arguidos se não houver necessariamente acesso aos documentos, estando garantidos os direitos desde que haja a comunicação de quais são os elementos [do despacho de indiciação]", explicou o advogado.

A audição terminou pelas 16:00 horas e prossegue esta sexta-feira, às 10:00, com a aplicação das medidas de coação.

Só depois de serem conhecidas as medidas de coação, a defesa irá tomar uma posição.

Ficou agendada para amanhã a tomada de posição do Ministério Público relativamente às medidas de coação. Vamos conhecer a proposta do Ministério Público quanto às medidas de coação amanha de manhã. A sessão marcada para as 10:00 e depois tomaremos posição", sublinhou João Nabais.