O Ministério Publico (MP) acusou esta segunda-feira oito pessoas de, em coautoria, aceder de forma ilegal a canais de televisão de acesso condicionado mediante cardsharing, adiantou a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

Na nota, a procuradoria explicou que o MP considerou indiciado que um dos arguidos adulterou, em 2014, recetores de televisão (boxes) para que pudessem fazer emparelhamento com os dados informáticos retirados de um cartão legítimo, colocados online por um outro suspeito, num servidor na Holanda.

Estes recetores de televisão e a possibilidade de, através deles, aceder a canais codificados de televisão foram depois vendidos pelos arguidos a preços não inferiores a 100 euros e com mensalidades muito inferiores às praticadas pelas empresas que, legitimamente, disponibilizavam os canais e seus conteúdos”, avançou.

Os suspeitos estão acusados, em coautoria, de um crime de acesso ilegítimo e de burla informática e nas comunicações.