O Governo vai em 2018 mais do duplicar as verbas do Fundo Florestal Permanente para as ações de prevenção da floresta contra incêndios, disse esta quinta-feira o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas.

No próximo ano vamos gastar tanto em prevenção como em combate aos incêndios florestais", referiu o governante, em Coimbra, na sessão de abertura do seminário "As lições de Pedrógão Grande", promovido pelo Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, liderado pelo investigador Xavier Viegas.

 

Este é o caminho para que não se repita o que aconteceu em Pedrógão Grande", reforçou Miguel Freitas, salientando que o país "tem condições para fazer melhor e estar preparado para o risco".

Além do reforço com equipas de sapadores florestais, o secretário de Estado das Florestas adiantou que o Fundo Florestal permanente vai ter 55 milhões de euros para o reforço das equipas de sapadores florestais, criação de um corpo para "estabilização de emergência" e para abertura e manutenção de redes primárias de defesa contra incêndios.

De acordo com o governante, o Orçamento do Governo para 2018 contempla uma verba de 15 milhões de euros para a abertura de 500 novos quilómetros de rede primária de defesa contra incêndios nas zonas mais críticas do país, que ainda estão a ser definidas.

Miguel Freitas anunciou ainda mais 46 milhões de euros para desenvolver o projeto "Aldeias Seguras", que abrange 25 localidades dos concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos (distrito de Leiria), afetados pelos violentos incêndios de 17 de junho, que causaram oficialmente 64 mortos e mais de 250 feridos.

Desenvolvido pela Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande, em parceria com a Aprosoc - Associação de Proteção e Socorro e a WIT-Software, o projeto prevê a constituição de equipas locais de resposta e emergência, que devem entrar em funcionamento até 01 de junho de 2018.

Segundo a presidente da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande, Nádia Piazza, no âmbito do plano de ação que está a ser elaborado para cada uma das aldeias "vão surgir as equipas locais de resposta e emergência, que vão ser treinadas, e as aldeias vão ser equipadas".

O projeto está incluído no Plano de Revitalização do Pinhal Interior (região Centro).

O seminário "As Lições de Pedrógão Grande" pretende analisar os acontecimentos relacionados com os incêndios de Pedrógão Grande e concelhos limítrofes de 17 de junho e discutir o relatório técnico elaborado pela equipa liderada pelo investigador Xavier Viegas.