O Infarmed aprovou o financiamento de 15 novos medicamentos, em 16 processos avaliados, no primeiro semestre deste ano, ultrapassando os 14 aprovados em 2017 e os nove de 2016, anunciou hoje a Autoridade Nacional do Medicamento.

Segundo o Infarmed, a maior parte dos medicamentos inovadores, financiados ou comparticipados, são de uso hospitalar, destacando-se moléculas para o tratamento de doenças oncológicas (três medicamentos), esclerose múltipla (dois medicamentos) e doenças cardiovasculares, com seis novos medicamentos aprovados (correspondendo a sete processos).

Em comunicado, a Autoridade Nacional do Medicamento adianta que foram concluídos 183 processos, dos quais 25 relativos a novas substâncias ativas ou novas indicações, 108 de medicamentos genéricos, 46 de novas apresentações de medicamentos e quatro de medicamentos biológicos similares (biossimilares), destinados ao tratamento de cancro da mama, cancro gástrico metastizado, diabetes e infertilidade.

Os medicamentos biossimilares constituem uma alternativa aos biológicos de referência, ou seja, são produzidos a partir de organismos ou células vivas que foram modificadas para produzir a substância ativa (uma proteína, por exemplo)”, adianta, explicando que “o biossimilar tem de demonstrar a mesma eficácia, segurança e qualidade que o biológico de referência”.

Para isso, tem de possuir a mesma composição (em quantidade e qualidade) em substância ativa, a mesma forma farmacêutica e ser bioequivalente ao medicamento biológico de referência.

O Infarmed recorda que nos dois últimos anos se atingiram valores recorde na conclusão (anual) destes processos, com 51 em 2016 e 60 em 2017.

Sublinha ainda que “a aceleração da aprovação de novos medicamentos tem sido uma prioridade”, tendo a maior parte dos processos (145) sido submetidos após a aprovação dos novos prazos legais (7 de setembro de 2017) e concluídos em menos de nove meses.

“No último ano, porém, foi possível reduzir ainda mais o número de processos de anos anteriores que existiam no Infarmed, tendo sido concluídos 38 dossiês prévios a esta data”, salienta.