O furação Joaquim, que deverá perder intensidade nas próximas horas, deverá passar a norte do arquipélago dos Açores como depressão extratropical, provocando um agravamento do tempo no arquipélago na quinta-feira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

“Uma depressão extratropical que corresponde ao eixo furacão Joaquim irá passar a norte do arquipélago. No entanto, a sua influência fará sentir-se com um agravamento do estado do tempo, na quinta-feira, mas tudo dentro de padrões normais para o arquipélago”, explicou hoje o meteorologista Carlos Ramalho, da delegação dos Açores do instituto, em declarações à Lusa.

Carlos Ramalho referiu que durante a passagem desta depressão extratropical "o vento deverá aumentar de intensidade" e poderá chegar aos 90 quilómetros por hora e haverá agitação marítima, com ondas que poderão atingir os sete metros. Está prevista também precipitação nas nove ilhas dos Açores.

O meteorologista adiantou que para quinta-feira as previsões apontam para vento do quadrante sul forte, com rajadas entre 80 e 90 quilómetros por hora nos grupos Ocidental (Flores e Corvo) e Central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial). Em São Miguel e Santa Maria (grupo Oriental) as rajadas atingirão entre 70 e 80 quilómetros por hora.

"Deverá ocorrer precipitação na quinta-feira em todas as ilhas e, quanto ao mar, estão previstas ondas de seis a sete metros no grupo Ocidental, de cinco metros no Central e ondas de três a quatro metros no grupo Oriental", acrescentou.

Para sexta-feira as previsões apontam para "uma melhoria gradual do tempo".

O furacão Joaquim é o terceiro furacão da temporada no Atlântico (entre junho e novembro) e o mais forte, pela força dos seus ventos.