Nas últimas 48 horas, seis militares foram assistidos no Hospital das Forças Armadas por motivos vários, disse à TVI o porta-voz do exército, o tenente-coronel Vicente Pereira. Em causa, estão “queixas de fadiga ou musculares”.

Desses seis militares, cinco regressaram no próprio dia às atividades do curso e apenas um continua internado devido a “indícios de rabdomiólise”, uma patologia associada ao esforço físico intenso, não correndo risco de vida.

Um militar morreu no domingo à noite devido a um “golpe de calor” depois de um treino do curso de Comandos.  O jovem, que frequentava o 127.º curso de Comandos, sentiu-se “indisposto durante uma prova de tiro (tiro reativo)” tendo sido de imediato assistido pelo médico que acompanhava a instrução, que lhe diagnosticou “um golpe de calor”.

A vítima perdeu os sentidos durante o treino de tiro, em Alcochete, tendo sido assistido por um médico no local. Acabou por morrer horas depois. Um militar que também participava no curso está internado no hospital com prognóstico reservado. 

O chefe do Estado-Maior do Exército ordenou já um inquérito para apurar as causas em que o “trágico acontecimento ocorreu”, tendo a Polícia Judiciária militar tomado conta da ocorrência.

O ministro da Defesa manifestou esta segunda-feira "profundo pesar" pela morte de um militar de um curso de Comandos, tendo já transmitido à família do falecido a sua "solidariedade pessoal e do Governo neste momento de dor e sofrimento".

Na altura, o Exército esclareceu já que apesar da morte de um militar e de um outro ter ficado ferido no domingo, os treinos vão continuar, embora adaptados ao tempo quente que está previsto para o início da semana.

Situação clínica de militar do curso de Comandos internado regista evolução favorável

A situação clínica do militar do curso de Comandos internado no Hospital do Barreiro regista uma evolução favorável, mantendo um quadro reservado, informou esta terça-feira o porta-voz do Exército, Vicente Pereira.

O soldado Bylan Araújo da Silva foi internado na sequência de um treino do curso de Comandos, durante o qual morreu um outro militar devido a "um golpe de calor".

Os incidentes ocorreram ambos na região de Alcochete, no distrito de Setúbal, embora em locais diferentes, sendo que o incidente do militar que veio a falecer ocorreu pelas 15:40 e o do ferido cerca de uma hora mais tarde.