O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira o regime da carreira especial de técnico superior de diagnóstico e terapêutica, assim como os respetivos requisitos de habilitação profissional.

Na terça-feira, os técnicos de diagnóstico e terapêutica anunciaram que iam suspender a greve a partir das 16:00 daquele dia, tendo em conta que foram aprovados os diplomas que estabelecem as novas carreiras para estes profissionais.

Esta quinta-feira, na reunião do Conselho de Ministros, o Governo aprovou "o regime de carreira especial de técnico superior das áreas de diagnóstico e terapêutica, bem como os respetivos requisitos de habilitação profissional".

De acordo com o Governo, estes aplicam-se "aos trabalhadores com vínculo de emprego público bem como aos trabalhadores com contrato de trabalho nas entidades públicas empresariais e nas parcerias em saúde em regime de gestão e financiamento privados, integradas no Serviço Nacional de Saúde.

Em comunicado, na terça-feira, o Sindicato dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica (STSS) explicou que o fim da greve está relacionado com a aprovação, em reunião de secretários de Estado, dos diplomas que estabelecem as novas carreiras dos técnicos de diagnóstico e terapêutica, nos termos em que foram acordadas em negociação com os sindicatos.

Os técnicos de diagnóstico e terapêutica estavam em greve por tempo indeterminado desde o dia 29 de junho.

O sindicato adiantou então que este processo se arrasta há 16 anos, considerando que aprovação das novas carreiras acaba "com a discriminação que os técnicos de diagnóstico e terapêutica são vítimas".

Os diplomas das carreiras já tinham sido objeto de acordo com o Governo em dezembro de 2016, mas nunca chegaram a ser aprovados.