A GNR apanhou este ano 10.855 condutores com excesso de álcool, menos 10 por cento do que em igual período de 2015, indicou a corporação, que inicia esta segunda-feira uma operação de fiscalização ao álcool e drogas.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana avança que, desde o início do ano, foram submetidos ao teste de alcoolemia 516 mil condutores, dos quais 10.855 conduziam com taxa de álcool no sangue (TAS) superior ao permitido por lei, menos 1.153 do que no mesmo período de 2015 (menos 10%).

Dos 10.855 condutores com álcool, 41 por cento (4.462) conduziam com TAS igual ou superior a 1,2 gramas por litro, considerado crime, adianta aquela força de segurança.

Segundo a GNR, Aveiro (1.274), Braga (1.259) e Faro (1.205) foram os distritos com mais condutores apanhados a conduzir com excesso de álcool.

Já os distritos com menos condutores com álcool este ano são Portalegre (146) e Bragança (148).

Os dados foram avançados na semana em que a GNR realiza em todo o país a operação “Tispol Alcohol e drugs”, ação de fiscalização à condução sob efeito do álcool e drogas.

De acordo com a GNR, as ações de fiscalização são “direcionadas sobretudo para as vias e locais onde as infrações por excesso de álcool e consumo de substâncias psicotrópicas são mais frequentes”.

A operação, que termina no domingo, é realizada de igual modo em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é representante nacional, e pelo Euro Controle Route, grupo de serviços de controlo das estradas europeias cujo objetivo é o de melhorar a segurança rodoviária.