O navio Betanzos com bandeira espanhola está encalhado desde a 01:00 desta terça-feira junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, ao largo de Lisboa, com 10 tripulantes a bordo.

Cerca da 01:00 o navio teve um blackout total à saída da barra, ficou à deriva e depois a maré acabou por levá-lo à situação em que está agora junto ao Bugio. Está encalhado”, adiantou o comandante da Capitania do Porto de Lisboa, Coelho Gil.

O comandante explicou que o blackout apaga a propulsão, a energia a bordo, ficando o navio à deriva, sem capacidade para se movimentar.

A maré pegou no navio, devolveu-o ao rio Tejo, mas pelo lado errado, para o Bugio numa área que tem muitos cabeços de areia e ele acabou por encalhar”, explicou.

O comandante Coelho Gil adiantou que “os 10 tripulantes estão todos bem". "O navio tem 118 metros e tinha saído do terminal do Beato, em Lisboa, rumo a Casablanca [Marrocos]”, disse.

Âncora impede retirada da embarcação

A âncora está a dificultar as operações para retirar o navio que está encalhado junto ao Bugio, disse à Lusa o porta-voz da Autoridade Marítima Nacional, referindo que os trabalhos no local continuam a decorrer.

“Por volta das 18:20, no pico da maré, teve início uma tentativa para rebocar o navio do local. Apesar de o navio ter recuperado energia e propulsão, a âncora está na água, presa ao fundo e não foi possível recolher”, disse à Lusa o comandante Fernando Pereira da Fonseca, porta voz da Autoridade Marítima Nacional.

Apesar da tentativa dos rebocadores, com a ajuda do navio, a âncora impediu que a embarcação fosse retirada do local.

Segundo o responsável, as operações foram suspensas ao fim da tarde e os trabalhos serão retomados durante a madrugada de quarta-feira.

“Os cabos continuam passados e os rebocadores no local, mas deixaram de fazer força devido à descida da maré. As operações foram suspensas e vão ser retomadas cerca das 05:00”, disse à Lusa o comandante Fernando Pereira da Fonseca, porta voz da Autoridade Marítima Nacional.

A embarcação tem 118 metros e transporta areia.