O agente do Serviço de Informação de Segurança (SIS) detido em Roma aterrou esta noite em Lisboa, depois de as autoridades italianas terem autorizado a extradição para Portugal, disse à agência Lusa fonte da Polícia Judiciária (PJ).

Segundo a mesma fonte, Frederico Carvalhão Gil vai ser presente a primeiro interrogatório judicial “na tarde de segunda-feira ou na terça-feira” no Tribunal Central de Instrução Criminal, para aplicação de medidas de coação.

O agente do SIS foi detido em flagrante delito, em Roma, a vender informações da NATO a um espião russo, detentor de passaporte diplomático, no âmbito de uma investigação que envolveu o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo (UNCT) da PJ, que deslocou investigadores a Itália, e a EUROJUST.

Em causa estão crimes de espionagem, violação de segredo de Estado, corrupção e branqueamento relacionados com suspeitas de transmissão de informações, a troco de dinheiro, por parte do funcionário do SIS ao agente dos serviços de informações russos.

Na sequência das detenções em Roma foram também realizadas buscas domiciliárias em Portugal.