A GNR durante a operação “Ano Novo”, que terminou às 00:00 de domingo, registou 612 acidentes, que provocaram cinco mortos, 21 feridos graves e 191 feridos ligeiros, disse à Lusa fonte daquela força policial.

De acordo com a mesma fonte da GNR, em comparação com o mesmo período do ano anterior, registaram-se mais dois mortos, mais oito feridos graves, mas menos dois acidentes e menos um ferido ligeiro.

A operação “Ano Novo” decorreu entre as 00:00 de 31 de dezembro e as 00:00 de domingo, 03 de janeiro de 2016.

No âmbito da mesma operação, foram registados 1.822 excessos de velocidade, tendo sido fiscalizadas 650 condutores com álcool no sangue, 212 dos quais foram detidos com uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l, valor a partir do qual é considerado crime.

Dos condutores fiscalizados pela GNR durante os três dias em que decorreu a operação, 137 não tinham cinto de segurança ou usavam-no incorretamente e 121 usavam indevidamente o telemóvel durante a condução.

Em relação aos números combinados da Operação Natal e Ano Novo, e comparativamente a igual período de 2014/2015, registaram-se 1.201 acidentes (menos 31), 12 mortos (igual número), 40 feridos graves (mais 14) e 378 feridos ligeiros (mais 22).
 

317 detidos durante período do Ano Novo


A GNR anunciou hoje que deteve 317 pessoas no âmbito de um conjunto de operações de combate à criminalidade e de fiscalização rodoviária realizadas em todo o país durante o período do Ano Novo.

Num comunicado de balanço da atividade operacional de Ano Novo, a Guarda Nacional Republicana adianta que foram detidas 212 pessoas por condução sob o efeito do álcool, 32 por condução sem habilitação legal, 16 por tráfico de droga, seis por posse de arma proibida e três por furto.

Segundo a GNR, as 317 detenções foram feitas entre 31 de dezembro e 03 de janeiro.

Durante o período de Ano Novo, os militares da GNR apreenderam também 496 doses de haxixe, 166 doses de heroína, 54 plantas de cannabis, cinco armas brancas, quatro armas de fogo e 2.346 euros.

No âmbito da fiscalização do trânsito, a GNR controlou 16.982 condutores e detetou 4.361 infrações, das quais 1.822 por excesso de velocidade e 650 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei.

Os militares da GNR registaram ainda 182 infrações por falta de inspeção periódica obrigatória, 137 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças, 121 por uso do telemóvel durante a condução e 66 por falta de seguro.