Há um incêndio ativo na serra de Monchique, mais concretamente na Fóia, o ponto mais alto do Algarve com 902 metros de altitude. 

A informação foi confirmada à TVI por fonte Associação dos Bombeiros Voluntários de Monchique.

“Neste momento, aqui na central, até estamos com algumas dificuldades em entrar em contato com os operacionais no terreno, por isso não lhe consigo dizer o número nem a dimensão do fogo ativo”, disse a fonte oficial. "Só posso confirmar que houve um incêndio nas Caldas de Monchique esta tarde, que já está instinto. E há um ativo na serra, na Fóia”, disse.

A Proteção Civil também dá conta do fogo ativo, cujo alerta foi dado às 17:08. De acordo com a informação, disponibilizada no site, já estão quase 153 bombeiros, com 50 veículos no combate no local. 

À Lusa, o comandante operacional da Proteção Civil de Faro, Abel Gomes, disse que pelas 20:20 se registavam dois incêndios. Além do da Fóía, um outro em Porto de Lagos, localidade situada no limite dos concelhos de Monchique e Portimão. 

Devido à falta de acessos, o incêndio na Fóia está a arder livremente numa zona de mato, enquanto o fogo em Porto de Lagos, com uma frente ativa mas controlada pelos bombeiros", frisou

E à mesma hora, referia a Proteção Civil, que estavam 17 operacionais com oito carros nas Caldas. Um sinal de que o foco não teria, afinal, sido totalmente extinto ou que tinha reacendido.

No combate aos fogos do Algarve este sábado já estão envolvidos cerca de 192 operacionais das corporações do Algarve, da Força Especial de Bombeiros, Guarda Nacional Republicana (GNR), Polícia Judiciária (PJ), sapadores florestais, equipas dos serviços municipais de proteção civil de Portimão, Monchique e Silves, apoiados por 66 veículos e três máquinas de rasto.

Durante a tarde, as operações de combate ao fogo envolveram também quatro meios aéreos. Um outro foco em Loulé já foi extinto.

Detido homem suspeito de atear fogos em Monchique

E também esta tarde, um homem foi hoje detido na zona da Fóia suspeito de ter sido o autor de vários focos de incêndio, disse ainda à agência Lusa fonte dos bombeiros do Algarve.

De acordo com  Abel Gomes, "o homem foi apanhado em flagrante a atear incêndios durante a tarde, tendo sido detido pelas autoridades policiais".

Abel Gomes explicou que a detenção ocorreu depois de os bombeiros terem solicitado a intervenção da GNR e da PJ, "face ao número anormal de ignições que se registaram durante a tarde e quase à mesma hora em vários locais do concelho de Monchique".

"Registaram-se ignições durante a tarde em vários locais, perto de estradas e acessos, o que nos levou a pedir a intervenção da GNR e da PJ", destacou.