Já se sabe em detalhe a lista do material de armamento roubado dos paióis de Tancos. O "inventário do roubo" foi divulgado pelo jornal site El espanhol, citando fontes do governo de Madrid. Mas as autoridades portuguesas ainda não confirmaram que a lista divulgada corresponda à totalidade do material furtado.

De qualquer modo, segundo o site espanhol, eis a lista:

  • 1.450 cartuchos de 9 mm
  • 22 bobinas de fio para ativação por tração
  • 1 disparador de descompressão
  • 24 disparadores de tração lateral multidimensional inerte
  • 6 granadas de mão de gás lacrimogéneo CS / MOD M7
  • 10 granadas de mão de gás lacrimogéneo CM anti-motim M / 968
  • 2 granadas de mão de gás lacrimogéneo Triplex CS
  • 90 granadas de mão ofensivas M321
  • 30 granadas de mão ofensivas M962
  • 30 granadas de mão ofensivas M321
  • 44 granadas foguete antitanque carro 66 mm com espoleta M4112A1 com lançamento M72A3 --M/986 LAW
  • 264 unidades de explosivo plástico PE4A
  • 30 CCD10 (carga de corte)
  • 57 CCD20 (carga de corte)
  • 15 CCD30 (carga de corte)
  • 60 iniciadores IKS
  • 30,5 lâminas KSL (lâmina explosiva)

Curiosamente, o Exército não tinha querido revelar detalhes e a quantidade exata de material de guerra que desapareceu dos paióis, alegando que prejudicaria a investigação. Mas lá fora, e perante os parceiros internacionais, Portugal teve que prestar contas, por questão de segurança.

"As forças de segurança europeias, que já estavam em plano alerta, têm agora uma nova razão para se preocuparem", diz o jornal espanhol

O inventário agora exposto pela imprensa espanhola e transcrito para todos os meios portugueses faz parte da informação, e inventário de todo o material que desapareceu de Tancos, a que as forças antiterroristas espanholas tiveram acesso.  

Segundo o El Espanhol, fonte do ministério do Interior daquele país confirma que Portugal tem estado em contato com Espanha depois de um roubo que mantém em alerta toda a Europa. Numa altura em que o ministro da Defesa português, Azeredo Lopes não descarta a hipótese do material ir parar a mãos terroristas. 

Também a Unidade de Nacional ContraTerrorismo estará a colaborar na investigação como noticiava ontem o Diário de Notícias.

Entretanto, a embaixada dos Estados Unidos em Lisboa aumentou o nível de Segurança face ao aproximar da data comemorativa do 4 de julho.