O Hospital de Santa Cruz anunciou esta segunda-feira ter implantado, pela primeira vez em Portugal, o “pacemaker” mais pequeno do mundo, tornando-se “um dos centros pioneiros” a disponibilizar este equipamento aos doentes.

De acordo com o coordenador da Unidade de Arritmologia de Intervenção do Hospital de Santa Cruz, Pedro Adragão, este primeiro implante marca “uma nova etapa no tratamento das arritmias cardíacas”.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o especialista explica que, ao contrário da “pacemaker” convencional, este dispositivo é implantado diretamente no coração através de um procedimento “minimamente invasivo”, sem necessidade de colocação de cabos/elétrodos, que são “os principais responsáveis” pelas complicações a longo prazo.
 

“Outra das vantagens desta cápsula cardíaca é o facto de não ser necessária uma incisão cirúrgica no peito, eliminando assim qualquer sinal visível do 'pacemaker' e reduzindo o risco de infeções e tempo de recuperação dos doentes."


A nova cápsula mede 2,5 centímetros (um décimo do tamanho de um dispositivo convencional) e é colocada no coração através de um cateter inserido na veia femoral.

“Uma vez colocado, fica preso à parede do coração, podendo ser reposicionado, caso seja necessário”, acrescenta-se na informação.