A Fundação Calouste Gulbenkian prepara-se para abandonar o negócio do petróleo.

As conversações para a venda dos ativos da fundação decorrem com o grupo chinês que comprou os seguros ao Montepio, a CEFC China Energy.

O negócio pode envolver uma verba de 500 milhões de euros.

Em comunicado, a Gulbenkian justifica a decisão com a mudança de estratégia da fundação, em prol da sustentabilidade energética.

O interesse nos ativos da Calouste Gulbenkian na petrolífera Partex não é de agora, mas os chineses da CEFC China Energy apresentaram uma proposta que está a ser analisada.

A fundação não adianta prazos, apenas garante estar num processo de negociação com o grupo asiático.