Um cão de pequeno porte e com uma pata partida ficou preso entre duas paredes numa zona habitacional em Valongo às 05:00 desta quinta-feira, mas, cinco horas volvidas, nem Proteção Civil nem os Bombeiros se tinham deslocado ao local, contou à agência Lusa uma testemunha.

André Silva disse que era "vergonhoso" nenhuma autoridade ter auxiliado um animal em sofrimento que está ferido e preso entre "duas paredes".

Os Bombeiros de Valongo confirmaram ter recebido um pedido de ajuda para um salvamento animal às 05:00.

Fonte do Centro Veterinário Municipal de Valongo disse à Lusa, pelas 09:50, que um tratador de animais estava a deslocar-se para o local.